Saber que as coisas não são eternas nos faz querer aproveitá-las.

photo-1431975562098-bac8ded504c7

A morte assombra a todos nós, talvez por isso temos a tendência de esquecê-la tão facilmente, não enxergamos a brevidade nas pessoas e em tudo o que passamos, nos iludimos ao pensarmos – mesmo que inconscientemente – que certas coisas serão eternas.

É comum encontrarmos no Facebook, posts em homenagem as mães pedindo que Deus as torne eternas, mas o que poucos se dão conta é que é exatamente isso o que fazemos, de alguma forma as tornamos eternas no nosso inconsciente. Uma adolescente seria capaz de brigar com a mãe e bater a porta na cara dela se naquele mesmo momento tivesse a consciência de que anos depois sua mãe não estaria mais ali? Certamente não. Até nos atos de rebeldia existe um tipo de afeto, escondido na pureza de pensar que a mãe “chata” será eterna.

A minha avó morreu quando minha mãe tinha apenas 11 anos, quanto tempo durou a eternidade delas? Talvez algumas conversas antes de dormir, um passeio na sorveteria, talvez mais que muitas vidas inteiras.

 

Mas não falo só sobre laços afetivos, sobre as coisas boas da vida, pois também temos o costume de atribuir a eternidade aos momentos ruins que somos desafiados a passar. Ao pensarmos que toda dor e sofrimento que estamos vivendo nunca passarão, deixamos de ver o lado bom da dor, não nos permitimos ser moldados no deserto.

E a tristeza, que parecia perdurar até o fim de sua vida, vai embora ao amanhecer, antes que você mesmo perceba, foram tantas lágrimas durante a noite que poderiam ser evitadas, tanta dor até se deixar ser moldada.

Saber que as coisas não são eternas nos faz querer aproveitá-las mais, tanto o valor do colo materno, tanto a beleza dos dias difíceis. Porque eterno, no fim, é só a nossa alma.

Desculpe-Me Por Falhar

post9-1080x715

Desculpe-me por falhar, mas creio que você já sabia.

Me sinto renascer todos os dias, porém em alguns, as inúmeras versões de mim não são tão boas como as anteriores. Então me sinto culpada, sendo pouco a pouco afastada da minha verdadeira essência, me encontrando perdida dentro de mim mesma. Desculpe por falhar, mas creio que você já sabia. Um dia você me disse não queria só mais um quarto na minha vida, queria uma casa maior, ter liberdade para fazer tudo conforme Você planejou. Porque você sonhou, sonhou muito com nós dois. E agora sou eu quem sonho, sonho em poder te entregar uma casa melhor, menos bagunçada, com uma mesa bem bonita e farta, e colocar um pedacinho do teu amor em cada cômodo, só pra te fazer fazer sentir em casa.

Bom, me desculpe por errar constantemente, mas realmente creio que já sabia. No seu livro fala que Cristo é o cordeiro que foi morto antes da fundação do mundo e eu acredito nisso, de todo o meu coração. Você já sabia, já sabia das minhas inconstâncias, já sabia de todos os erros da humanidade, já sabia do dia de hoje e ainda assim amou, ainda assim morreu.E a cada dia em que acordo com pensamentos ruins, em uma versão de mim mesma que não é a que você sonhou para mim, você morre novamente.

Mas venha agora, não vamos falar mais de morte, já que você é a própria vida. Faça morada, a casa continua bagunçada, confesso, mas tudo o que eu sou sempre pertenceu a você mesmo. Então venha, tome tudo o que a minha vista consegue alcançar, seja o personagem principal da minha vida, vamos trocar as minhas desculpas, por gargalhadas e lágrimas de alegria. A casa é sua.

Me desculpe por falhar, mas obrigada por me perdoar. Todos os dias. Até o fim da vida.

Poema: Céu

Alguns dizem que é o fim,
Que o trem para junto com a respiração,
Que todos os choros, todas as canções,
Sempre foram em vão,

Aquele ônibus que você perdeu,
O dia em que riu até sua barriga doer,
Toda a sua humanidade misturada com o que é celestial,
Caem por terra, como um dia caiu o véu?

Tudo o que você fez,
Tudo o que deixou de fazer,
Não passam de besteiras,
Que todos ainda irão esquecer,

Para que viver então?
Se a gente nasce para morrer,
O que será que em toda essa existência,
As estrelas querem nos dizer?

Tudo o que me resta agora é tirar o caos para dançar,
Transformar minhas dores em poesias,
Que talvez ninguém lerá um dia,

Ninguém irá me conhecer,
Tudo o que sou só durará até o meu morrer,

Aposto disso,
Tenho a promessa,
Que depois do fim,
Ainda haverá outra vida para se viver.

SARA GUSELLA

Sumi, Mas já voltei com um Texto 

Eii povo! Quanto tempo! Sei que sumi por mais de meses, porém muitas coisas aconteceram na minha vida ( que depois quero ter a oportunidade de compartilhar) que me fizeram largar o Blog. Essa é a explicação mais resumida, o que importa é que eu não vou mais sumir e prometo voltar ativamente.

 Para começar, deixo um texto autoral que escrevi esse mês para vocês! 

Xoxo,


CRISTO 

” Carrego em minha alma as feridas já cicatrizadas dos desertos da vida que foram necessários para que eu encontrasse a Cristo, que outrora já habitava em mim. Cegada pelo medo e insegurança, seguia vivendo tão morta de espírito, sem saber que ter o controle da vida é o mesmo que entregá-la nas mãos da perdição.

 E então veio Cristo, o mesmo que me foi apresentado desde criança, mas foi só quando a minha alma cansou que ele se manifestou, quando não havia mais chão ele se fez terra fértil, fez crescer flores onde havia o vazio, só para me fazer sorrir. Fez da minha vida uma primavera, em pleno inverno de corações.

 Desde esse dia eu me perdi, me perdi dos padrões, me perdi das crenças e da lógica, só para me deixar ser encontrada diariamente por ele, Cristo! Ele virou minha vida de cabeça pra baixo e nessa bagunça, ele se fez perfeição e eu me encontrei pela primeira vez.  Descobri que não precisava mais de chão, já que ele me faria voar. Descobri que não era necessário um caminho certo e determinado para o futuro, já que ele era o norte da vida inteira. Em meio ao caos dancei e em seus braços repousei. Enquanto todo o mundo ansiava, ele me ensinou a esperar, que é sempre na provação que eu irei me encontrar. Cristo, mudou tudo e continua a mudar.” SARA GUSELLA

Ano 17

image

Semana passada foi meu aniversário e acabou que, com a correria, não deu tempo de postar nada aqui. Então quero compartilhar agora dois poemas pequenininhos que escrevi. Espero que gostem!

“Aniversário é um ano novo particular,
Se troca de roupa,
tanto da alma quanto do corpo,
para comemorar,
O décimo sétimo recomeço,
De vários que a vida dá.”

ANO 17
Estou mudando a minha visão do mundo,
Somando meus recomeços,
Crescendo a medida que o tempo passa,
Vivendo a vida do avesso,

Estou determinada a acreditar,
Deixar a luz entrar mais uma vez,
Permitir o tempo de levar,
Tudo o que errei aos dezesseis.

Sopro as velas do bolo,
Colocando o medo no fundo do bolso,
Seja bem vindo ano 17,
Pela frente há uma vida que não se mede”.

Escrito Por: Sara Gusella

Estrelas Perdidas

image

  Eu vejo as pessoas a minha volta, sempre tão atrasadas, com pressa para ir e para chegar. Será que elas sabem que estamos aqui só de passagem? Será que elas estão dando valor aos detalhes? Será que elas tem feito o que amam? Será que são felizes? Será que eu tenho sido realmente feliz? Será que ao menos tenho atentado para isso, parado alguns poucos minutos do meu dia, saído da rotina por instantes, para fazer uma oração, ouvir o meu coração?
  Quando reflito sobre o outro, quase instantaneamente reflito sobre mim mesma. Estamos todos juntos aqui na Terra, sonhando, vivendo, chorando, prosseguindo, surtando aos poucos, deixando que os problemas tirem de nós, o que há de mais precioso.
  Creio que é por isso que eu escrevo, para não me deixar levar, para não me esquecer, nem por um dia, nem por um instante sequer, da esperança e da alegria que está nas estrelas, que ainda permanece em nós, adormecida, bastando uma pequena oração para ser despertada.
  Somos mais do que a correria nos impulsiona a ser, estrelas perdidas, há algo de místico no nosso ser. Ansiamos mais do universo, vagamos sempre em busca de um propósito maior, pois há em nossa alma, resquícios, lembranças de um mundo que outrora existiu, a nossa verdadeira casa, que se recusam a nos deixar.
  Somos filhos do próprio criador, somos para ele a prosa e a poesia, não há nada de acaso em nós, apenas magia.

Escrito por: Sara Gusella

A Estrada

image

Quando se trata de sonhos, algo é sempre lembrado no coração de todos: a estrada será sempre longa e o caminho nunca será fácil. Esse fato, em dia qualquer, veio à minha mente acompanhado de uma nova reflexão.
Enquanto eu caminhava pela centro da cidade na busca do hospital mais próximo, por um instante me imaginei em São Paulo, cidade que tem ocupado a minha mente e o meu coração quando se tratado de faculdade, mas para a minha total infelicidade tudo o que eu pude sentir naquele momento foi medo. A simples idéia de eu ser capaz de morar sozinha em uma cidade tão grande e de ser independente, me pareceu inicialmente uma utopia. Foi triste ver como os nossos medos e falhas somados, se tornam rapidamente tão maiores que a nossa vontade de vencer.
Mas horas depois, quando ainda pensava nisso, uma frase do C.S.Lewis me veio a mente: “Olhe para você durante toda a sua vida e tudo o que você verá será ódio, tristeza e amargura. Mas olhe para Cristo e você irá encontra-lo e com ele, tudo o que você mais necessita”. Neste momento eu finalmente entendi, e quando me imaginei em São Paulo, não mais sozinha, mas sim guiada por Deus, tudo instantâneamente me pareceu tão claro, tão certo. Pois no momento em que eu olhei para Deus, seu amor calou todos os meus medos e a certeza de que ele estaria comigo em todo tempo, renovou a minha esperança, não só nele, mas em mim mesma.
Encontrar Deus é também se encontrar, é entregar seus medos a ele e deixar que ele lhe mostre quem você realmente é. É encontrar um novo sentido para a vida e saber que, se alguém tão grande acredita em você e em seus sonhos, você deve acreditar também. É saber que independente do quão longa seja a estrada, você não estará sozinha, nem por um dia, nem por um só instante durante toda a caminhada.

Texto escrito por: Sara Gusella