Da Série: Notas do Celular

Quem eu sou

É fácil em fases da minha vida como essa, ao conviver com diferentes tipos de personalidade, sentir aquela dor no fundo do estômago, o desapontamento por ser desse jeito e não conseguir ser do jeito do outro.
Imatura demais, inexperiente demais, chorona demais, dramática demais. Essas são algumas coisas que as palavras e os olhares das pessoas desde que eu saí de casa me fizeram sentir. Okay, só tem três mês, mas teve dias que eu desejei ser tão madura quanto aquela outra pessoa, ou me mostrar segura de si tanto quanto às pessoas a minha volta mostram ou simplesmente não precisar da ajuda de ninguém. Infelizmente ( ou felizmente) nenhuma dessas metas ainda foram alcançadas.
Mas acontece que quando a gente está vivendo nesse processo, existe os dias que a gente só queria ser o outro, ter o comportamento e a segurança do futuro que o outro faz parecer tão fácil. E existe também pessoas que faz a gente parecer menor porque não agimos da forma que ela agiria nos momentos de tensão. Mas acontece que gente é a gente, vamos começar por aí.
A gente tem a nossa história e que esses momentos de querer ser o outro, ter a personalidade do outro e o pulso firme do outro são normais é verdade, mas o problema é que quando isso acontece, a gente esquece de toda a nossa história, das experiências que os nossos pais viveram que formaram a personalidade deles, que durante a criação foram passada para nós. De todos os momentos bons e ruins, de todos os dias de sol e de tempestade em que Deus, lentamente, foi desdenhando o meu caráter.

Eu não sou igual ao outro, mas tudo bem. Ainda estou aprendendo a fazer a mala correndo e a lidar bem com personalidades completamente diferentes da minha. Ainda estou encontrando a minha identidade, ainda estou descobrindo quem Deus é e conhecendo Ele, entendo quem eu sou. Ainda há dias que da vontade de voltar no tempo, ainda há dias em que a maturidade parece tão distante.
Ainda. Mas ainda bem que ainda não é para sempre. Eu ainda chego lá.

Dois meses na Inglaterra 

Semana que vem vai fazer dois meses desde que cheguei na base da Jocum em Harpenden, Inglaterra para fazer meu curso de inglês. Eu não consigo descrever em palavras tudo o que já vivi nesses dois meses, mas posso confirmar que Deus foi bom durante todas essas sete semanas. Essa é q minha primeira vez longe de casa, o que faz todo os processos mais longos e demorados e um deles é a comunicação.Sei que durante todo esse tempo houve muito pessoas orando por mim e só Deus sabe o quanto cada uma dessas orações foram essenciais e poderosas em cada momento que eu vivi. Gostaria de retribuir mais aos que oram e intercedem pela minha vida, eu creio que vocês não estão investindo numa obra em vão, Deus tem algo para fazer aqui e cada oração de vocês é um tijolo a mais naquilo que Deus tem erguido em mim. 


Nesse último fim de semana eu tive o prazer de estar no maior festival cristão aqui da Inglaterra, onde eu vi todo o cristianismo no país de uma outra forma. Existem ainda, muitos jovens sedentos por Deus aqui, com uma fé muitas vezes maior e mais sábia que a nossa, que em algum momento julgou a Europa. Aqui, a igreja católica e a evangélica são unidas como uma só, cristão é quem acredita em Jesus e isso parece ser tudo em que eles estão interessados.


Essa experiência quebrou muitos preconceitos em mim, admito e me fez refletir o quanto o meu jeito de adorar e viver como cristão é influenciado pela minha cultura e o lugar que eu vivo.

Enfim, como eu disse, tudo isso é parte de um processo que Deus tem trabalhado em mim e eu gostaria de continuar contando com as suas orações pela minha vida, elas valem mais pra mim que o próprio fato de estar na Inglaterra e eu faço o compromisso de, apesar das minhas falhas, sempre compartilhar com vocês as boas novas de tudo o que Deus tem feito em mim e ao meu redor ( fruto das orações de vocês, aí do Brasil).

Muito obrigada! 

Quem Garante que Seremos os Mesmos?


Lidar com seres humanos é a coisa mais densa e desgastante que existe, tenho descoberto isso, lidando comigo mesma. Criar expectativas nos outros é fácil, se tudo dar errado a culpa é do outro, nos ausentamos de qualquer julgamento, todo o peso é posto no ombro do outro. Mas não superar as expectativas que nós criamos para nós mesmos, é o pior tipo de decepção que existe, não existe ninguém para jogar a culpa, somos inevitavelmente, expostos a nossa própria incapacidade. “Como então viveremos?” Já perguntava Tiago Arrais. Agora que descobrimos que além do outro ser pobre de espírito eu também sou. 

Comecei o ano com a meta de ser a melhor versão  cristã de mim mesma. Na teoria tudo é lindo e é  realmente o sonho da minha vida ( crescer espiritualmente, olhar no espelho e ver uma alma totalmente mudada, mais do que ter um testemunho, fazer da minha vida um testemunho de Jesus) mas na teoria tudo é mais difícil, somos profundamente mais complicados do que pensamos. Vi os dias passando e percebi que nada havia mudado, a tal maturidade espiritual parecia então tão distante de ser alcançada. E então é aí que entra Jesus, não aquilo que a gente pode fazer pra ele, ou para parecer mais limpo aos olhos dele, mas quem ele é.

Acredito que Nós somos todo o mal que habita em nós mesmos , mas que Cristo é toda a graça que nunca mereceríamos. Entende? É Cristo>nós. Existe dias em que a coisa mais difícil é continuar acreditando em nós mesmos, mas Ele acreditou primeiro e como dizia um cientista aí, Deus não joga dados. Ele nos conhece melhor que nós mesmos, cada área do nosso caráter e de nossa personalidade. Ninguém garante que seremos os mesmos no dia seguinte, nem que somos imutáveis, mas é a graça que opera qualquer mudança em nós.

Nos dias em que não encontramos em nós motivação nenhuma, que a graça seja o motivo e o alvo para continuar a caminhar. Tanta coisa nos espera.

“Cristo em nós, a esperança da Glória”

Fique com Deus!

Desculpe A Bagunça

Desde pequena sempre te tive muito presente na minha vida, não me lembro de um só momento que você tenha me desamparado, porque isso nunca aconteceu. O seu amor sempre me amparou, me empoderou, o seu amor sempre me definiu, mas ainda sim, tenho tanta dificuldade para caminhar, para confiar.
Desculpa a bagunça que tá aqui dentro, sei que não é assim que você quer me ver, sei que seus propósitos são perfeitos, sei que você é a própria perfeição, mas é que às vezes dá um medo. Não sei o que seria sem você, sou tão feliz por te ter por perto e não quero imaginar a minha vida sem você, você é tudo o que eu sou, tudo o que eu sei.
Gostaria de tentar me ver com os seus olhos, medo, ansiedade, não são palavras que existem no seu vocabulário, amor é o modo que você vê, amor é tudo que você é.
As palavras estão confusas, assim como meus sentimentos, assim como sou quase 24 horas por dia, e ainda assim você não deixou de me amar nem por um segundo. Obrigado por insistir, obrigada por por continuar aqui, eu não sei o que vai acontecer, mas você aconteceu na minha vida e isso é tudo o que importa.

 

SARA GUSELLA

 

Saber que as coisas não são eternas nos faz querer aproveitá-las.

photo-1431975562098-bac8ded504c7

A morte assombra a todos nós, talvez por isso temos a tendência de esquecê-la tão facilmente, não enxergamos a brevidade nas pessoas e em tudo o que passamos, nos iludimos ao pensarmos – mesmo que inconscientemente – que certas coisas serão eternas.

É comum encontrarmos no Facebook, posts em homenagem as mães pedindo que Deus as torne eternas, mas o que poucos se dão conta é que é exatamente isso o que fazemos, de alguma forma as tornamos eternas no nosso inconsciente. Uma adolescente seria capaz de brigar com a mãe e bater a porta na cara dela se naquele mesmo momento tivesse a consciência de que anos depois sua mãe não estaria mais ali? Certamente não. Até nos atos de rebeldia existe um tipo de afeto, escondido na pureza de pensar que a mãe “chata” será eterna.

A minha avó morreu quando minha mãe tinha apenas 11 anos, quanto tempo durou a eternidade delas? Talvez algumas conversas antes de dormir, um passeio na sorveteria, talvez mais que muitas vidas inteiras.

 

Mas não falo só sobre laços afetivos, sobre as coisas boas da vida, pois também temos o costume de atribuir a eternidade aos momentos ruins que somos desafiados a passar. Ao pensarmos que toda dor e sofrimento que estamos vivendo nunca passarão, deixamos de ver o lado bom da dor, não nos permitimos ser moldados no deserto.

E a tristeza, que parecia perdurar até o fim de sua vida, vai embora ao amanhecer, antes que você mesmo perceba, foram tantas lágrimas durante a noite que poderiam ser evitadas, tanta dor até se deixar ser moldada.

Saber que as coisas não são eternas nos faz querer aproveitá-las mais, tanto o valor do colo materno, tanto a beleza dos dias difíceis. Porque eterno, no fim, é só a nossa alma.

Desculpe-Me Por Falhar

post9-1080x715

Desculpe-me por falhar, mas creio que você já sabia.

Me sinto renascer todos os dias, porém em alguns, as inúmeras versões de mim não são tão boas como as anteriores. Então me sinto culpada, sendo pouco a pouco afastada da minha verdadeira essência, me encontrando perdida dentro de mim mesma. Desculpe por falhar, mas creio que você já sabia. Um dia você me disse não queria só mais um quarto na minha vida, queria uma casa maior, ter liberdade para fazer tudo conforme Você planejou. Porque você sonhou, sonhou muito com nós dois. E agora sou eu quem sonho, sonho em poder te entregar uma casa melhor, menos bagunçada, com uma mesa bem bonita e farta, e colocar um pedacinho do teu amor em cada cômodo, só pra te fazer fazer sentir em casa.

Bom, me desculpe por errar constantemente, mas realmente creio que já sabia. No seu livro fala que Cristo é o cordeiro que foi morto antes da fundação do mundo e eu acredito nisso, de todo o meu coração. Você já sabia, já sabia das minhas inconstâncias, já sabia de todos os erros da humanidade, já sabia do dia de hoje e ainda assim amou, ainda assim morreu.E a cada dia em que acordo com pensamentos ruins, em uma versão de mim mesma que não é a que você sonhou para mim, você morre novamente.

Mas venha agora, não vamos falar mais de morte, já que você é a própria vida. Faça morada, a casa continua bagunçada, confesso, mas tudo o que eu sou sempre pertenceu a você mesmo. Então venha, tome tudo o que a minha vista consegue alcançar, seja o personagem principal da minha vida, vamos trocar as minhas desculpas, por gargalhadas e lágrimas de alegria. A casa é sua.

Me desculpe por falhar, mas obrigada por me perdoar. Todos os dias. Até o fim da vida.

Poema: Céu

Alguns dizem que é o fim,
Que o trem para junto com a respiração,
Que todos os choros, todas as canções,
Sempre foram em vão,

Aquele ônibus que você perdeu,
O dia em que riu até sua barriga doer,
Toda a sua humanidade misturada com o que é celestial,
Caem por terra, como um dia caiu o véu?

Tudo o que você fez,
Tudo o que deixou de fazer,
Não passam de besteiras,
Que todos ainda irão esquecer,

Para que viver então?
Se a gente nasce para morrer,
O que será que em toda essa existência,
As estrelas querem nos dizer?

Tudo o que me resta agora é tirar o caos para dançar,
Transformar minhas dores em poesias,
Que talvez ninguém lerá um dia,

Ninguém irá me conhecer,
Tudo o que sou só durará até o meu morrer,

Aposto disso,
Tenho a promessa,
Que depois do fim,
Ainda haverá outra vida para se viver.

SARA GUSELLA